lUNA ASSUME ITAIPU

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro de Minas e Energia (MME), almirante Bento Albuquerque, nomearam o novo diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, e o novo diretor financeiro executivo da empresa, vice-almirante Anatalício Risden Júnior, na última quinta-feira (21). Eles substituem Marcos Vitório Stamm e Mário Antônio Cecato, respectivamente. O mandato tem validade até 16 de maio de 2022. Luna será o 13º diretor-geral brasileiro da Itaipu.

Luna esteve à frente do Ministério da Defesa de 27 de fevereiro de 2018 a dezembro do mesmo ano e foi o primeiro militar a comandar a pasta. Com experiência em planejamento estratégico, orçamento e gestão de projetos, ele comandará o lado brasileiro da usina em momento relevante para a binacional, às vésperas da renegociação do Anexo C do Tratado de Itaipu, que dispõe sobre as bases financeiras da operação.
O último militar brasileiro a dirigir a Itaipu Binacional foi Ney Aminthas de Barros Braga, entre 1985 e 1990. Ele foi precedido pelo general de exército José Costa Cavalcanti, o primeiro diretor-geral brasileiro de Itaipu (1974-1985), que participou de todo o processo de construção da usina.

A presença do presidente Jair Bolsonaro na posse do diretor-geral brasileiro de Itaipu, em Foz do Iguaçu, foi o primeiro compromisso administrativo programado fora de Brasília desde que assumiu o cargo. O governador em exercício Darci Piana destaca que o Paraná tem sido protagonista na interação com o governo federal. Ele que cita que em cerca de 40 dias, o Estado já recebeu três visitas de ministros. Leia mais Aqui.

Participaram da solenidade Arnoldo Wiens, ministro de Obras Públicas do Paraguai; Bernardino Caballero, vice-ministro das Relações Exteriores do Paraguai; José Alberto Alderete Rodríguez, diretor-geral paraguaio da Itaipu; os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa); Roberto Vaesken, governador de Alto Paraná, no Paraguai; Carlos Simas Magalhães, embaixador brasileiro no Paraguai; Wilson Ferreira Junior, presidente da Eletrobrás; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; os deputados federais Vermelho, José Carlos Schiavinato, Ricardo Barros e Felipe Francischini; o deputado estadual Hussein Bakri; o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o presidente da Copel, Eduardo Pimentel; autoridades empresariais e de organismos internacionais.